Organização

  • wdcommidiadigital

Estrutura do treinamento aplicado




ESTRUTURA DE ACOMPANHAMENTO DOS TREINOS


1 - Exames Médicos – Antes de começar nossa nova fase de preparação, é necessário que se tenha uma noção do estado de saúde de todos vocês. Para isso, você deverá procurar um Clínico Geral e submeter-se a exames que poderão ajudar muito para que possamos montar sua planilha de treinamento com mais segurança. Esses exames farão análise de Colesterol, Ferro, Diabetes, VO2 Máximo, Freqüência Cardíaca, Doenças Cardíacas e Respiratórias, etc. A rigor, precisamos dos testes Ergoespirométrico e do bioquímico de sangue.


2 - Metas – Trace metas futuras para que seu treino tenha um propósito, sejam elas quais forem, desde uma corrida de 5 Km até uma Maratona. Se você estiver treinando para uma prova, dificilmente irá faltar aos treinos ou fazê-los pela metade, mas se você estiver correndo sem objetivos, possivelmente quando estiver frio, chovendo, de férias ou ocorrer qualquer outra situação adversa, você irá deixar seus treinos em segundo plano. Agora é importante que suas metas sejam reais para que não se decepcione no futuro e sinta-se desmotivado.


3 - Tripé – Para se atingir os objetivos, tanto na corrida, como em qualquer outro esporte, temos um Tripé que é formado por: Treinamento, Sono e Alimentação,os três itens têm a mesma importância e devem estar estabelecendo um bom sincronismo. Caso um deles não esteja funcionando bem, o seu desempenho estará comprometido e uma série de outros problemas poderão vir à tona:

Treinamento – Ter um bom treinamento é uma das partes mais importantes para um corredor. Caso você não tenha noção de corrida, iremos ajudá-lo(a) a montar seu treino, de acordo com seu objetivo e disponibilidade. Apesar de parecer simples, correr não é tão fácil assim. Correr por correr, apenas aumentando a distância e o tempo de corrida, trará benefícios no começo, mas depois você atingirá um Platô e não conseguirá quebrá-lo, além de estar sujeito a uma série de lesões relacionadas à corrida. Em uma planilha de corrida estão envolvidos diversos tipos de treinos, ou seja, dependendo da época e de seus objetivos, existem treinos de subida, força, resistência, potência, simulados etc; são etapas que todos os corredores irão passar e cada uma delas tem o seu tempo e propósito.

Sono Esta é uma variável importante de seu treinamento. É indispensável que tenhamos de 6 a 8 horas de sono diários e não desperdicemos noites por motivos banais. Tente deixar festas e jantares para os dias que antecedam os seus dias de folga na planilha.

Alimentação - Muitas vezes as pessoas dizem que estão seguindo a planilha, mas não estão tendo melhoras e ainda estão desmotivadas para seus treinos. Na maioria das vezes, corrigimos estes aspectos melhorando a alimentação da pessoa. Com o suporte nutricional, a nutricionista irá prescrever uma alimentação que se encaixe com suas necessidades. 


4 – Vestimentas Este é um aspecto interessante da corrida. É uma variável que torna este esporte mais viável para as pessoas, ou seja, não é preciso ter o melhor tênis ou o melhor short e camiseta. Basta ter bom senso e procurar vestir roupas leves e um tênis que se encaixe com o seu tipo de pisada e também com o seu peso, pois se você estiver acima do peso, é importante que o tênis tenha um bom sistema de amortecimento. Hoje em dia existem diversos modelos no mercado que podem ser adquiridos por preços bem interessantes para os corredores.


 5 – Conheça seu corpo - É muito importante que você aprenda a conhecer os seus limites, e isso leva tempo e treinamento. Uma das piores coisas para um corredor é acabar um treino achando que poderia ter dado mais ou não conseguir acabá-lo, por ter se esforçado muito no começo.  Um importante aliado para que este conhecimento seja adquirido é o frequencímetro. Um corredor que começa o treino sem o cronômetro e sem saber a quantas anda seu coração, já está começando errado. Marque seus tempos, eles serão as variáveis de avaliação mais importantes de seus rendimentos na pista.


6 - Conviver com a dor Dificilmente iremos encontrar alguém que começou a treinar corrida, ter passado uma semana que seja, sem sentir algum tipo de dor, seja ela muscular, no joelho, nos ombros, no tornozelo ou na canela.  As dores certamente irão aparecer, mas nesta hora é importante que saibamos avaliá-las, pois muitas vezes são dores musculares e a cura está simplesmente no descanso da musculatura envolvida. Por isso é importante que comunique seu treinador sobre qualquer tipo de desconforto que esteja interferindo em seus treinos, para que juntos possam achar a melhor maneira de resolver esses problemas. No começo é comum o aparecimento de dores e muitas pessoas já interrompem seus treinamentos logo no início, mas esta não é a saída. Antes de parar de correr, procure ajuda de um especialista.


7 - Treinos Complementares Para ajudar  seu desempenho na corrida, existem outras atividades que são importantes, como a Musculação, Natação, Bike e Alongamentos. Não é necessário que você encaixe todas estas atividades em seu treinamento, mas o fato é que não existe uma atividade completa, ou seja, que envolva todos os grupos musculares. Então, se você ficar só na corrida, estará deixando de estimular outras partes de seu corpo. É importante conciliar o tempo para que possamos montar suas planilhas de treinamento incluindo os treinos complementares.


8 – Avaliações Periódicas -  Ao final de cada 3 mesociclos de treinamento, que corresponde a três meses, estaremos realizando  teste físico  que consiste em corrida de 3km numa pista de atletismo ou na rua. Determinaremos uma semana dentro do mês para a realização dos testes. Caso alguma competição coincida com a data previamente marcada, faremos as alterações cabíveis.    


Responsável técnico : Prof.Ms Zeca Florentino

2 visualizações
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon